TRANSPLANTE CAPILAR

O Cabelo

CabeloOs fios de cabelo surgem em todo o corpo do embrião por volta do segundo mês de gestação e com 22 semanas de vida totalizam aproximadamente cinco milhões. Estes fios finos e quase transparentes são chamados de lanugo. Caem no oitavo mês de gestação, sendo substituídos por uma nova leva de lanugo, caindo novamente no terceiro ou quarto mês de vida (após o nascimento).

O adulto tem dois tipos de fios. Os mais longos e grossos são chamados de cabelos “terminais”. Há grande variação de cor, espessura, e forma. Em média tem o diâmetro de 50 mícrons (0,050 mm – “muito finos”) a 100 mícrons (0,100 mm – “muito grossos”).

Muito FinoFinoMédio-FinoMédioMédio-GrossoGrosso
 60 microns 60-65 microns 65-70 microns 70-75 microns 75-80 microns 80 microns

Fios muito curtos, finos e claros são chamados de “vellus”. Na puberdade, o aumento dos níveis hormonais transforma alguns desses fios “vellus” em fios “terminais”, ou seja, de simples penugem passam a ser fios grossos e visíveis. Essas alterações ocorrem principalmente no púbis, axilas e na barba (em homens). Sua função vai desde regulação térmica, proteção da pele até diferenciação e atração sexual.

A importância do Cabelo

CabeloCabelo bonito e saudável é um sinal de juventude. Componente importante na estética da face é um dos responsáveis pela atração física e pelo desejo. Sua queda afeta nossa auto-imagem e, portanto, é motivo de preocupação para homens e mulheres, principalmente os mais jovens. Quem tem calvície ouve a palavra “careca” de forma pejorativa e esta é frequentemente uma das primeiras observações que fazem a seu respeito.

Há milênios procura-se a solução deste problema. O “Papiro de Ebers”, o mais extenso documento médico do Antigo Egito, de 1550 A.C., já descrevia poções para combater a calvície. Alardeados durante século, esses tônicos “milagrosos” apresentavam-se como a única salvação, apesar do insucesso dos resultados obtidos. Julius Caesar (100-44 A.C.), Imperador Romano, atormentado pela calvície, despendia um tempo considerável para cobrir a falha, trazendo para frente os fios de cabelo que nasciam atrás da cabeça. Não é de se admirar que nenhuma das honrarias conferidas a ele causasse maior prazer do que ostentar um coroa de louros.

Durante séculos, chapéus e perucas serviram para ocultar a calvície. O que se pretende hoje é não apenas esconder, mas sim solucionar o problema. Vivemos numa era de culto ao corpo. Em um país tropical, como o Brasil, proliferam academias de ginástica, salões de beleza e clínicas de estética. Num campo tão fértil, germinou a cirurgia plástica brasileira, um centro de referência mundial. O homem que buscava o belo mudou. Agora ele quer também um resultado natural e duradouro.

Sua Anatomia

O couro cabeludo de um adolescente tem aproximadamente 100 mil fios de cabelo. São compostos de queratina, que é um tecido morto. A raiz do cabelo é a responsável pela reprodução celular e está localizada na pele e mais profundamente na gordura. Ao contrário do que muitos imaginam, esses fios não saem da pele um a um. Emergem como unidades foliculares, compostos de até quatro fios terminais, sendo que em média 20% contém apenas um, 45% contém dois fios, 30 % contém três e 10% contém quatro fios. Na realidade essa proporção varia de pessoa para pessoa e também varia com a idade de cada um, sendo que com o passar dos anos reduz-se a proporção de grupos de três e quatro fios e aumenta-se a proporção de grupos de um e dois fios. Ao microscópio observa-se também a presença de um a dois fios tipo “vellus”, que são fios miniaturizados. Há também o músculo pilo-eretor (que provoca o eriçamento dos fios) e as glândulas sebáceas, que produzem o óleo que lubrifica os fios e a pele.

No Transplante de Cabelo de Unidades Foliculares transfere-se toda essa estrutura anatômica para que o fio cresça saudável e com a mesma espessura do fio do seu local de origem. Evita-se separar os fios de uma mesma unidade pelo comprovado índice de perdas que isso pode acarretar. Mantendo-se a disposição original dos fios obtêm-se os resultados mais naturais possíveis.

Seu Ciclo de Crescimento

CabeloTodos os fios de cabelo do corpo passam por ciclos de crescimento, repouso e queda. No couro cabeludo os fios crescem em média 1 cm/mês durante 2 a 6 anos (fase anágena), sendo mais longo nas mulheres do que nos homens. Os fios nas outras partes do corpo têm fases de crescimento mais curtas, assim nunca atingem o comprimento de um fio do couro cabeludo. Durante 2 a 4 semanas entram no período de transição (fase catágena) e finalmente os fios caem e as raízes permanecem em repouso por 2 a 4 meses (fase telógena). Na fase catágena as raízes retraem-se e migram em direção à porção mais superficial da pele. Os fios da fase telógena são aqueles encontrados na escova de cabelo, no travesseiro ou no ralo do banheiro, com uma “raiz branca”. A queda de 50 a 100 fios por dia é normal, pois é decorrente do ciclo normal de crescimento do cabelo.

Diferentemente de alguns animais, que podem ter todos os fios na mesma fase, o homem tem a qualquer momento 85-90% dos fios na fase anágena , 1% na fase catágena e10-15% dos fios na fase telógena .

Na Calvície Androgenética a dihidrotestosterona (D.H.T. – um subproduto da testosterona) encurta a fase anágena dos fios susceptíveis e a cada ciclo os fios tornam-se cada vez mais finos, mais curtos e mais claros até o ponto em que não nascem mais. É necessário que a perda atinja 50% do número total de fios para que seja perceptível! Assim, quando alguém nota uma rarefação, a perda está ocorrendo há muito tempo.

Compartilhe: