TRANSPLANTE CAPILAR

Tratamento clínico para Calvície

Tratamento da Calvície – Considerações Gerais

Há milhares de anos são anunciadas fórmulas mágicas para acabar com a calvície, parar a queda e até fazer nascer cabelo. O desejo pela solução do problema, aliado ao desconhecimento da causa da queda, faz com que algumas pessoas utilizem produtos que prometem resultados e na expectativa de que funcionem darão testemunhos altamente positivos. Cientificamente está provado que em diversas situações há retorno espontâneo dos fios e os efeitos desses tratamentos são meramente psicológicos, semelhante ao de qualquer placebo (medicamento sem princípio ativo).

Muitos homens tentam de (quase) tudo. De fórmulas manipuladas, a simpatias e preparados às vezes bastante exóticos. É natural, assim, que haja descrença em qualquer novo tratamento. Décadas de maus resultados na cirurgia da calvície também estigmatizaram esta cirurgia e para muitos só existem resultados artificiais. Diante deste cenário desfavorável não é de se surpreender que a grande maioria das pessoas deixe de procurar o médico em busca de uma solução (apenas 3% dos homens o fazem). Restam o conformismo e táticas simples para camuflar a calvície, como penteados, maquiagem e perucas.

Muitos homens dizem não ver nada de errado em serem calvos e não raramente repetem frases feitas exaltando sua condição como uma verdadeira vantagem. “É dos carecas que elas gostam mais…”, dizem. Embora isto possa realmente ocorrer, a grande maioria faria o que estivesse ao seu alcance para parar e reverter o processo. É difícil imaginar alguém no mundo que tenha como sonho tornar-se careca. Os homens querem ter cabelo! E existem opções.

Medicamentos podem ajudar a diminuir a queda, principalmente na coroa. Seu uso, entretanto, deve ser contínuo e não se pode esperar resultados excelentes. É uma boa opção para calvícies precoces em que se contra-indica o Transplante de Cabelo e, nos homens mais maduros, associados a um Transplante de Cabelo.

A cirurgia da calvície, e mais especificamente o Transplante de Cabelo com Unidades Foliculares, tornou-se a principal opção para homens e mulheres. Com o refinamento da técnica no final dos anos 90, centros altamente especializados como a Clínica Speranzini alcançaram resultados extremamente naturais e duradouros.

Minoxidil - utilizado no tratamento da calvície       remedios para tratamento da calvície shampoos para o tratamento da calvície

Minoxidil (Rogaine®)

No final da década de 70 a Upjohn introduziu no mercado um anti-hipertensivo de uso sistêmico chamado Minoxidil. Como efeito colateral notava-se o crescimento de cabelo e, a partir daí, iniciaram pesquisas para o uso tópico, especificamente para reduzir a queda de cabelo em pessoas com calvície androgenética. Atualmente é comercializado em concentrações de 2% e 5%. Diminui a queda e aumenta a espessura dos fios remanescentes (mais raramente faz crescer cabelo). É particularmente eficiente na região da coroa e os resultados podem ser observados após 4 a 12 meses de uso contínuo. A desistência do tratamento leva a perda de todos os benefícios obtidos em 6 a 12 meses.

O Minoxidil parece reduzir também a queda de fios remanescentes na área receptora, nas primeiras semanas de pós-operatório, assim tem sido muito usado nos dias que seguem a cirurgia. Seu uso nos primeiros meses de pós-operatório parece também acelerar o crescimento dos fios transplantados. Seus efeitos colaterais mais comuns são coceira, irritação do couro cabeludo e vermelhidão local.

Finasterida - Usado no tratamento da calvície

Finasterida (Propécia®)

Inicialmente idealizada para tratar a hipertrofia benigna da próstata, em comprimidos de 5 mg, atualmente também é utilizada para reduzir a queda de cabelo e favorecer o crescimento. Foi aprovada pelo F.D.A. (Food and Drug Administration) em 1997 na forma de comprimidos de 1 mg, com a ingestão diária por tempo indeterminado. Estima-se que um milhão de norte-americanos façam o uso diário da droga. Age bloqueando uma enzima chamada 5-alfa redutase e assim reduz em 68,4% a conversão da testosterona para dihidrotestosterona (D.H.T.). Não faz crescer cabelo em pele totalmente calva e, sim, diminui a queda e torna os fios mais grossos, mais escuros e com maior comprimento.

Até o momento a Finasterida parece ser uma droga segura. O uso por cinco anos consecutivos para tratar a calvície demonstrou baixo índice de efeitos colaterais. Muitos homens estão preocupados com a diminuição da libido, que ocorre em apenas 1,8% dos casos, pouco acima do placebo (medicamento sem princípio ativo), com 1,3%. Além disso, essa disfunção desaparece completamente quando o tratamento é interrompido e desaparece na maioria das pessoas que mantém o tratamento.

Trabalhos mostram que a Finasterida diminui a queda em 99% dos homens após dois anos de uso ininterrupto. A calvície estabiliza na coroa em 1/3 dos casos, há discreta melhora em 1/3 dos casos e significativa melhora em 1/3 casos. Na região frontal há discreta melhora em 38% dos homens e significativa melhora em 5%. O pico do efeito se dá em um a dois anos de uso e dura enquanto o medicamento for usado. Qualquer benefício obtido com a Finasterida desaparece após 12 meses sem a droga. As razões mais comuns para não se tomar a Finasterida são: receio de efeitos colaterais a longo prazo, custo e necessidade de tomar a medicação diariamente.

A Finasterida não afeta os fios que não estão sujeitos a cair. Pode ser usada isoladamente, antes, durante ou depois de um Transplante de Cabelo. Enquanto que a cirurgia melhora as regiões frontais, a Finasterida melhora particularmente a região da coroa.

Na Clínica Speranzini recomendamos a associação do Minoxidil tópico e da Finasterida por via oral para potencializar o tratamento cirúrgico, mas deixamos a critério de cada paciente aceitar ou não o uso dessas drogas.

Dutasterida (Avodart®)

Em novembro de 2002 a Glaxo Corporation colocou no mercado uma droga mais potente do que a Finasterida para tratamento de doenças da próstata. Enquanto que a Finasterida bloqueia apenas a 5-alfa-reductase Tipo II, e consequentemente a formação da D.H.T., a Dutasterida bloqueia os Tipos I e II . A redução da D.H.T. é de 93 to 94% contra 70% da finasterida. Com a Dutasterida os efeitos duram por até 5 semanas, reduzindo ainda mais os níveis de D.H.T.. Atualmente seu uso está aprovado apenas para o tratamento de doenças prostáticas. Ainda são necessárias mais pesquisas que investiguem as consequências do seu uso a longo prazo. Os resultados são promissores.

Outros tratamentos

Escova com Laser

Foi lançado no mercado uma “escova” que emite laser em baixo grau que estimula o couro cabeludo, diminuindo a queda e promovendo o crescimento dos fios de cabelo. Aprovado pelo F.D.A. (órgão norte-americano que regula a venda de equipamentos médicos medicamentos).

Compartilhe: